Desapega! Conheça algumas razões para não comprar um carro

Se, antigamente, muitos jovens ansiavam pelo aniversário de 18 anos para tirar a carteira de motorista e ter um automóvel, hoje esse cenário mudou. A nova geração parece ter cada vez mais motivos para não comprar um carro.

Ele tem sido substituído por outros hábitos, como a bicicleta e o transporte público, além de outras alternativas, como a locação, que apresenta inúmeras vantagens. Além disso, os sonhos e as expectativas também mudaram. Os jovens de hoje são mais propensos a mudanças e colocam outras conquistas, como viajar o mundo, como prioridade em relação a um automóvel.

Então, quer saber quais são as principais razões para embarcar nessa também? Continue acompanhando este texto para conferir!

Depreciação do veículo

Você sabia que, assim que sai com o seu carro zero da concessionária, ele já começa a perder valor? Pois é, o primeiro motivo para não comprar um carro é justamente essa depreciação que ele sofre. Se você pesquisar um pouco mais, perceberá que isso ocorre muito rapidamente.

Ao contrário de imóveis, que podem se valorizar, os carros só perdem valor com o tempo, e por uma série de razões. Assim, comprar um automóvel pode ser considerado um investimento ruim. O único cenário em que um veículo poderia aumentar de preço é o de um exemplar muito antigos, alvo de colecionadores.

Gastos mensais

Se você colocar tudo no papel, perceberá que os gastos mensais com um carro são muitos. A começar pelo combustível — esse deve ser o principal custo, já que tanto o preço da gasolina, do álcool e do diesel não param de aumentar. Nesse caso, é importante lembrar que quanto mais antigo for o seu veículo, mais combustível ele tende a consumir.

Os gastos mensais, no entanto, não param por aí. Ainda é necessário colocar na conta o valor da proteção do carro, os custos com estacionamento e o aluguel da garagem, caso você já não tenha uma.

Custos de manutenção

Achou que os gastos tinham terminado? Infelizmente, ainda há muitos custos para serem citados aqui, especialmente quando o carro já tem uma certa idade e tempo de uso. Dessa vez, chegou a hora de pensarmos nos valores da manutenção, que não necessariamente são mensais.

O que entra nessa conta? Todos os gastos com mecânico, por exemplo. É importante lembrar também que esses não ocorrem somente quando algo no veículo estraga. É necessário fazer sempre uma manutenção periódica e preventiva. Isso inclui a revisão prevista pela concessionária, mas também outros cuidados, como a troca de óleo, de pneus e muitos outros.

Todos esses cuidados têm seus custos, o que pode acabar representando uma conta alta, e até imprevisível.

Economia com taxas e impostos

Quando falamos em impostos para veículos, todo mundo logo pensa no IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), cujo preço varia entre 1% a 4% do valor do automóvel, a depender do estado. Além dele, entretanto, existem muitas outras taxas que devem ser pagas pelos proprietários.

Dentre essas, destacam-se:

  • o DPVAT, uma espécie de seguro obrigatório;
  • o licenciamento do veículo, que deve ser pago logo que o mesmo é adquirido;
  • a inspeção veicular, uma taxa obrigatória em algumas cidades do país.

Por isso, acrescente todos esses custos aos seus gastos com manutenção e àqueles mensais, que já citamos anteriormente, para ter uma noção do dinheiro que a posse de um carro exige.

Nível de qualidade de vida

Embora ter um veículo possa trazer mais conforto à sua rotina, outra das principais razões para não comprar um carro é a melhoria que isso traz à sua qualidade de vida. Não sabe o que uma coisa tem a ver com a outra? É simples.

Sem carro, se optar por utilizar ônibus, metro, táxi ou aplicativos de transporte, o tempo que você passa no trânsito será melhor aproveitado, antecipando tarefas ou lendo um livro, por exemplo —se você conseguir, claro.

Ainda outro benefício que impacta na qualidade de vida de quem não tem um carro é que essas pessoas tendem a caminhar mais. Afinal, é praticamente automático em nossa rotina irmos dirigindo para qualquer lugar, por mais próximo que seja. Quem nunca tirou o carro da garagem para andar duas quadras? Você, com certeza, já fez isso.

Esse hábito, contudo, acaba nos privando dessa atividade tão simples, mas necessária. Logo, se não tiver um veículo, você fará esses trajetos curtos andando, o que é ótimo para a sua saúde física e psicológica.

Aproveitamento do dinheiro em outros projetos

Com todos os gastos que um automóvel gera, como você pode perceber neste texto, não comprar um carro representa uma economia significativa na sua vida. Além dos custos citados aqui, ainda lhe sobrará o valor que seria despendido para adquirir o bem. Já pensou em tudo que você poderia fazer com esse dinheiro?

Dar entrada em um imóvel, começar aquele negócio que nunca saiu do papel, fazer a viagem dos sonhos ou mesmo investir em ações e outras aplicações. Todas essas opções podem ser vantajosas e extremamente lucrativas, desde que você saiba como escolher a melhor alternativa. Portanto, saia da sua zona de conforto e veja seus projetos acontecerem!

Enfim, diante de tudo isso, não comprar um carro pode ser mesmo a melhor opção para você. Agora, se quiser evitar esses problemas que citamos ao longo deste texto — especialmente os que se referem ao dinheiro —, mas sem perder todo o conforto, uma excelente alternativa é optar pela locação de carros.

Locadoras são bastante flexíveis e estão disponíveis para atender os mais variados tipos de necessidade. Caso decida não comprar um carro, mas precise de um somente para viajar no feriado, por exemplo, você pode alugar pagando diárias. Já se você quer ter um veículo à sua disposição sem precisar gastar com imposto e manutenção, a locação mensal pode ser a alternativa perfeita.

Entenda como funciona a locação mensal da Lokamig

As infinitas despesas de um carro próprio andam assustando os proprietários, que continuam com a ideia conservadora de manter um veículo próprio. No entanto, a solução para economizar pode ser mais simples do que parece. Descubra o Lokamig Mensal Flex

 

E aí, gostou do nosso artigo? Se você ainda tem dúvidas ou quer se aprofundar sobre os planos e modalidades, aproveite para ler um pouco mais sobre o aluguel mensal de carros!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-