Pensando em viajar em Minas Gerais? Confira esse guia de cidades!

Minas gerais é um dos maiores estados brasileiros e tem cidades com características únicas, desde áreas urbanizadas e modernas, passando por municípios com natureza exuberante e as cidades que trazem no seu clima e visual as marcas da história de nosso país. Viajar por Minas Gerais vai muito além do clichê pão de queijo e cachaça — esse estado permitirá que você e a sua família tenham experiências únicas.

Se pararmos para pensar nos destinos históricos de nosso país, boa parte deles está em Minas Gerais, com destaque para a arquitetura colonial, que se faz presente em várias cidades. Para quem gosta do clima de montanha, para aproveitar o inverno, ou fazer uma trip mais aventureira, o estado também oferece opções e encantos naturais.

Para ajudar você na escolha do local da próxima viagem, criamos este guia, com 9 cidades para você viajar em Minas Gerais e, no final, daremos uma dica para que a sua viagem se torne ainda mais especial. Confira!

Viajar em Minas Gerais: quais as 9 cidades devo conhecer?

1. Poços de Caldas

Poços de Caldas é um destino especial para as pessoas que buscam tranquilidade, pois estamos falando de uma estância hidromineral bucólica do estado de Minas Gerais. A cidade é conhecida por suas fontes de águas termais, com propriedades alcalinas, sulfurosas e radioativas, que permitem banhos relaxantes ao visitante. Outro programa convidativo dessa cidade são os passeios pelas belíssimas cachoeiras e fontes espalhadas por ela.

Mas nem só de bucolismo vive Poços de Caldas. A cidade vem consolidando opções cada vez mais atraentes para quem quer sair à noite, com bares e casas noturnas que vêm sendo inaugurados nos últimos anos, se tornando um destino também bastante interessante para os jovens universitários da região.

É no inverno que Poços de Caldas ganha o clima boêmio, pois é na estação que a programação cultural se intensifica, acompanhada das comidas típicas mineiras, como os caldos e batidas. Os doces e queijos tão tradicionais da região são encontrados nas feirinhas de artesanato aos domingos nas praças da cidade.

Outro item muito procurado pelos visitantes de Poços de Caldas são os cristais de Murano. Na cidade, há três fábricas dessas peças, todas abertas à visitação. Nessas fábricas, os visitantes têm a oportunidade de acompanhar todo o processo de produção.

A cidade preserva a arquitetura dos tempos luxuosos dos bailes e jogatinas dos antigos cassinos, que foram transformados em museus e espaços culturais, que fazem parte do circuito cultural dela.

A natureza privilegiada da região permite aos turistas mais aventureiros atividades como o voo livre e o trekking, especialmente, na Serra de São Domingos, que apresenta as condições ideais para as práticas. Como em várias cidades brasileiras, Poços de Caldas também tem o seu Cristo Redentor, que pode ser acessado via teleférico, permitindo ao visitante uma visão panorâmica da região.

Poços de Caldas é uma cidade muito famosa por atrair casais apaixonados, devido ao seu clima romântico. A cidade fica a aproximadamente 463 km de Belo Horzonte. (Fonte dos amores – Imagem via: Sulminas Turismo)

2. Tiradentes

Batizada em homenagem ao líder da inconfidência mineira, a cidade de Tiradentes é uma das cidades históricas mais charmosas da região. As ruas trazem os calçamentos coloniais com pedras pé-de-moleque, além de igrejas do século 18.

O casario colonial preservado também emoldura a cidade, com sobrados que abrigam restaurantes, antiquários, pousadas e lojas artesanais, que, para completar o clima histórico, são iluminadas por lampiões. Esse cenário encantador já serviu até de locação para filmes e séries.

Outra atração da cidade são as charretes que ficam estacionadas no Largo das Forras, que permitem aos visitantes um passeio com paradas nos principais pontos da cidade, como o Chafariz São José, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, o Museu Padre Toledo e a Matriz de Santo Antônio, a mais bonita da cidade, com trabalhos que são atribuídos a Aleijadinho.

Outro roteiro interessante para se fazer em Tiradentes é o passeio pelos ateliês das ruas Direita e da Câmara. Nelas, os visitantes podem conferir a criatividade dos artesãos, que produzem as suas obras com matérias-primas como papel machê, ferro, estanho, madeira, entre outros. Outro local em que o turista pode encontrar um artesanato de excelente qualidade é no distrito de Bichinho, que fica a oito quilômetros do centro da cidade.

Para quem busca um circuito cultural mais contemporâneo, em Tiradentes, o visitante pode curtir a mostra de cinema e o festival de cultura e gastronomia que acontecem na cidade, fugindo um pouco do estigma de município meramente histórico.

Viajar para Tiradentes é, sem dúvida, um programa imperdível! A distância em relação à capital mineira é de aproximadamente  191 km.

3. Ouro Preto

Ouro Preto não ganhou o status de Patrimônio Histórico da Humanidade por acaso, pois a cidade abriga o maior acervo quando o tema é arquitetura barroca no Brasil. Na cidade, ficam igrejas icônicas, como a de São Francisco de Assis, considerada um ícone do estilo no país e uma das obras-primas de Aleijadinho. No município, também fica a Igreja de Nossa Senhora do Pilar, com os seus mais de 400 quilos de ouro.

Nas ruas de paralelepípedo, que calçam a antiga Vila Rica, o visitante tem o prazer de passar por chafarizes, museus, capelas e um casario colonial que, em cada centímetro quadrado, tem histórias dos séculos 17 e 18, época que marca a Inconfidência Mineira e o período de extrativismo da região.

Durante o dia, os visitantes podem visitar os altares e imagens, além de descobrir peças raras nos antiquários da cidade, andar pelas lojas e fazer paradas estratégicas nas cafeterias da Rua Direita. Para quem quer curtir a noite, a cidade mostra a sua força universitária nos bares e festas que agitam as repúblicas.

A Universidade Federal de Ouro Preto é uma das mais tradicionais do estado e atrai estudantes de todo o país, com mais de 200 moradias que abrigam mais de cinco mil alunos. Toda essa juventude reunida faz das datas festivas como o Carnaval e a Festa do Doze os momentos de maior badalação da cidade.

Com muitos encantos e surpresas, Ouro Preto é o lugar ideal para quem quer curtir um clima romântico em meio a muita cultura e um cenário cinematográfico. A cidade fica a aproximadamente 98 km de Belo Horizonte.

4. Capitólio

Minas Gerais não tem mar, mas a cidade de Capitólio tem um clima de balneário que faz dela um dos destinos mais interessantes do estado. A abundância de lagos, com águas de cor verde-esmeralda, que lembra o Caribe, é resultado das represas de furnas — é o litoral a mais de 600 quilômetros do oceano.

A região abriga um dos maiores lagos artificiais do mundo, com área de 1440 km² — maior do que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. Para deixar o cenário mais exuberante, toda essa área é emoldurada por cânions que podem chegar a 20 metros de altura. Na cidade, também é possível encontrar belíssimas grutas e cachoeiras. A da Lagoa Azul é o cartão-postal da cidade.

Uma das atrações da região são os passeios de lanchas, escunas ou chalanas, que param durante os percursos para que os banhistas mergulhem e aproveitem a vista.

Porém, as atrações de Capitólio não se resumem apenas às suas “praias” e cachoeiras. Para os mais aventureiros, a cidade oferece a oportunidade de trekking que passa pelas quedas do Grito e Poço Dourado, proporcionando banhos refrescantes aos aventureiros. Na região, também é possível encontrar áreas que permitem a prática do naturismo.

Com tanta água e um clima de balneário, é de se esperar que a culinária da região seja baseada em peixes, sendo que as tilápias e traíras são preparadas como churrasco. E, para provar que, apesar de ter “mar”, Capitólio ainda fica em Minas, o frango caipira da região é aclamado por todos os visitantes.

Localizada a aproximadamente 290 quilômetros da capital de Minas Gerais, Capitólio é uma cidade com inúmeros atrativos, razão pela qual tem se tornado um destino procurado por muitas pessoas que buscam por belas paisagens e uma boa dose de aventura.

5. Monte Verde

Considerada uma das áreas mais românticas de Minas Gerais, Montes Verdes — que, na verdade, não é uma cidade, e sim um distrito de Camanducaia, que fica no sul do estado — fica a 1500 metros de altitude. Por estar bem na Serra da Mantiqueira, a região apresenta baixas temperaturas o ano todo, podendo chegar a 0ºC no inverno.

A região foi carinhosamente apelidada de Suíça Mineira, pois é um pequeno vilarejo com uma rua principal, onde são destacados os estabelecimentos com a arquitetura em estilo europeu.

Além do clima convidativo e as belas pousadas, o que atrai os casais são os restaurantes com boa comida e decoração marcante, que ajuda na aclimatação. Para quem viaja com os filhos, há as pousadas com acomodações familiares, mas a família também pode optar por ficar em um dos hotéis-fazenda com recreação para as crianças.

Para quem quer curtir a natureza, a região apresenta trilhas como as da Pedra Redonda, Chapéu do Bispo, Pedra Partida e Pico Selado. Outra opção interessante, principalmente, quando a temperatura estiver mais atraente, é fazer uma visita a uma das cachoeiras da região.

As lindas paisagens naturais, culinária deliciosa e as baixas temperaturas fazem com que o turismo em Monte Verde esteja entre os favoritos dos casais apaixonados. A cidade fica a aproximadamente 480 km de Belo Horizonte.

6. Diamantina

A cidade de Diamantina não tem esse nome à toa, afinal, a fama da região ganhou o Brasil após a descoberta das pedras preciosas, em uma época em que o município ainda era conhecido como Arraial do Tejuco, no século 18.

Mesmo após o fim da exploração dos diamantes, a região continuou em evidência, por exemplo, por meio das suas personalidades, como Chica da Silva, a escrava que tinha vida de rainha ao se casar com um contratador português, e o seu filho mais ilustre, o ex-presidente Juscelino Kubitschek.

Em 1999, a cidade recebeu o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, concedido pela Unesco, graças ao seu cenário intocado, formado por igrejas barrocas e seus casarios coloniais que estão espalhados pelas suas ruas de pedra iluminadas por lampião.

Só que a cidade não se destaca apenas por sua riqueza histórica, pois também é um destino dos amantes da natureza, com sua moldura natural formada pela Serra do Espinhaço, cravadas por grutas e cachoeiras, além da tradição das festas culturais, como as serestas que permitiram a criação de eventos como a Vesperata.

O concerto é realizado nas noites de sábado e reúne uma multidão na Rua da Quitanda e, nele, os músicos tomam os sobrados coloniais que tocam sambas, boleros e valsas, o que deixa todos os presentes emocionados.

O estilo rústico da cidade é refletido nas vilas da região, como as belas vilas de Milho Verde, Biribiri e São Gonçalo do Rio das Pedras. Cercados por trilhas, cachoeiras e recantos que permitem a degustação da culinária mineira, esses locais evidenciam um pedaço da história que parou no tempo.

Saindo de Belo Horizonte, o percurso até Diamantina é de 300km e leva cerca de 4 horas. A melhor opção é seguir pela BR-040, pegar a BR-135 (no trevo do posto) e depois a BR-259

7. São Tomé das letras

São Tomé das Letras é uma cidade mineira que se diferencia pelo seu astral místico, que atrai visitantes do Brasil e do mundo. Esse clima é reforçado pelas suas construções em pedra, pelas suas cachoeiras e grutas, e também pelos 1,444 metros de altitude do município, que oferece uma das vistas mais exuberantes da Serra da Mantiqueira.

Uma das atrações da cidade é assistir ao pôr do sol do alto da Casa da Pirâmide, uma construção em pedra que foi abandonada, que permite uma visão deslumbrante da cadeia de montanhas, que ganham cores mágicas quando o sol se despede. É uma região muito propícia para quem quer acampar em Minas Gerais.

Os visitantes mais místicos acreditam que, em suas grutas, cascatas e corredeiras, a cidade abrigaria uma passagem secreta para a cidade de Machu Picchu, no Peru, a cidade sagrada dos Incas. No centro da cidade, o destaque fica por conta da arquitetura em pedras sobrepostas, como na Igreja do Rosário.

Na cidade, o turista também encontra as deliciosas receitas mineiras dos restaurantes locais, feitas em fogão a lenha. Seja por misticismo, seja por amor à natureza, a cidade de São Tomé das Letras é um destino que, certamente, ficará marcado na cabeça do visitante.

A cidade de São Thomé da Letras fica no sul de Minas, a aproximadamente 350 km de Belo Horizonte. Saindo da capital, o acesso é pela BR-381 (sentido São Paulo). Em seguida, é preciso pegar a BR-491 (sentido Três Corações) e a MG-167 (sentido São Bento Abade) – Pôr do Sol na Casa da Pirâmede – São Thomé das Letras – Via: Vaiviver.org

8. Araxá

A cidade de Araxá tem como sua maior atração turística o Grande Hotel, um marco na hotelaria nacional, que foi inaugurado em 1944, fechado 50 anos depois, e reaberto em 2002.

A nova direção preservou o glamour original, com os grandes salões e os exuberantes lustres de cristal. Além disso, as termas continuam funcionando como spa, entregando os banhos terapêuticos de águas sulfurosas e de lama, além de massagens, duchas, saunas e acupuntura.

O prédio de 33 mil metros quadrados de área construída traz ainda a pompa dos tempos em que trazia o cassino, com sofás e poltronas de couro, além dos elevadores de mogno e os corrimões com entalhes dourados. Inclusive, ele abriga um cinema, que confirma a grandiosidade dessa edificação.

O parque que fica no entorno do Grande Hotel, conhecido como complexo do barreiro, também passou pelo processo de restauração e tem piscinas, jardins, lago, bosques, trilhas, quadra de tênis e peteca, espaço para passeios de charrete e bicicleta.

Além do mais, o visitante tem acesso a duas fontes de águas limpas — a Dona Beja, que foi batizada em homenagem a uma das mulheres mais importantes da história da cidade, que traz cascatas radioativas e a Andrade Júnior, com águas sulfurosas.

Além do seu grande ponto, a cidade de Araxá é pacata e preserva pedaços de sua história com os casarões no centro da cidade. Em um deles, está localizado o museu Dona Beja, que tem como acervo mais de 300 peças e mobiliário do século 19. Em uma das salas, o estudante traz peças de figurino que foram utilizadas na novela da extinta rede Manchete, que mostrou a história da cortesã.

Outra característica de Araxá é a prática das atividades de aventura, sendo que a cidade é uma das entradas para o Parque Nacional da Serra da Canastra, que é repleto de cachoeiras e trilhas pela mata. Para que os atletas se recuperem após as caminhadas, vale uma passada na loja de doces da Dona Joaninha e de Dona Ana — com destaque para o tronquinho de amendoim, que traz o amendoim da ambrosia e das frutas cristalizadas.

Outra dica para o seu roteiro na cidade é a visita à fundação cultural Calmon Barreto, que fica no antigo prédio da estação ferroviária. Além de poder conhecer a produção artesanal de tear, o visitante pode fazer compras de produtos regionais, como os sabonetes de lama, doces caseiros, obras de arte e porcelanas.

A cidade de Araxá fica na região do Triângulo Mineiro. Tendo Belo Horizonte como ponto de partida, a distância é de 363 km, em uma viagem de, aproximadamente, quatro horas.  Tauá Grande Hotel Araxá (Imagem via: Viajarresorts)

9. São João Del-Rei

Para fechar a nossa lista, vamos destacar uma das cidades mais importantes e que tem um dos maiores acervos históricos de Minas Gerais: São João Del-Rei. O local foi fundado por bandeirantes paulistas, às margens do Rio das Mortes. A cidade se divide entre a parte histórica e um centro moderno.

Para conhecer São João Del-Rei partindo de sua essência, é preciso andar por suas ruas de paralelepípedo, sem pressa, para curtir toda a experiência. Um dos pontos que um visitante não pode deixar de visitar é a Igreja de São Francisco de Assis, que foi tombada pelo IPHAN — Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. O local apresenta características barrocas repletas de detalhes.

Outro roteiro que o visitante não pode perder na cidade é o passeio de trem de Maria Fumaça até a cidade de Tiradentes, na estrada de ferro fundada por Dom Pedro II.

O centro histórico traz os casarões e sobrados do Brasil Colônia, e os sinos tocando para anunciar o começo da missa ou da hora da Ave Maria estão presente há séculos. Um dos sobrados que se destacam é o Solar dos Neves, que ainda pertence à família do ex-presidente Tancredo Neves e a Igreja de Nossa Senhora do Pilar, com talhas de ouro em profusão.

No casario antigo, o turista pode visitar museus, comer em um dos vários restaurantes e lojas que vendem peças de estanho, que serve de matéria-prima para joias e objetos de decoração.

Situada a aproximadamente 185 km de Belo Horizonte, São João Del Rei é um dos pontos históricos do estado de Minas Gerais. A cidade traz as marcas do auge da exploração do ouro na região, preservando muito da arquitetura colonial e transbordando cultura, arte e História.

Quais são os benefícios de viajar em Minas Gerais de carro?

Agora que apresentamos a lista com 9 cidades mineiras que você precisa conhecer, para que você aproveite com total liberdade e sem limitações, é importante que escolha o meio de transporte correto e, sem dúvida, o melhor é o carro.

Alugar um carro é a maneira mais prática de chegar a uma cidade, principalmente para os turistas de outros estados que já chegam no aeroporto de CONFINS (CNF) com destino às terras mineiras.

Tenha mais liberdade

Quando você aluga um carro, tem a total liberdade para escolher a sua rota e paradas, pode comer onde bem entender (aproveitar o melhor das paradas das estradas mineiras) e descansar no caminho. Com um roteiro personalizado, você e sua família poderão aproveitar melhor o trajeto pela cidade que indicamos neste post.

Além disso, poderão escolher a categoria do carro, de acordo com o número de pessoas que irão no passeio e de acordo com o terreno em que o carro andará (em Minas há muitas estradas onde é necessário o uso de veículos com tração, principalmente se o seu objetivo for conhecer cachoeiras e outras belezas naturais em que é necessário passar por terrenos irregulares de terra).

Ganhe em pontualidade

Se você opta por se deslocar por transporte público, fica engessado pelos horários, tendo que, muitas das vezes, sair mais cedo do que o esperado, ou voltando antes do que queria dos locais.

Quando você chama um veículo de aplicativo, além de ter que esperar, corre o risco de ter a sua viagem cancelada. Com o carro alugado, além de sair na hora em que você quer, pode mudar o itinerário no meio do caminho e esticar a saída por outros locais.

Alugar um carro é econômico?

Falamos das vantagens de alugar um carro, mas será que é mais viável do que utilizar um carro próprio? Apesar do hábito de alugar carro crescer entre os brasileiros, por desconhecimento, muita gente deixa de utilizar esse modelo de transporte por achar que é caro. Se você vai viajar em grupo, tem a oportunidade de dividir o preço com os outros membros da trip. Além disso, a sua locadora em Minas oferece o desconto de 15% nas diárias do veículo para que sua experiência em Minas Gerais possa ficar ainda mais econômica 😉

Além disso, você pode buscar cupons de descontos, para as acomodações, restaurantes e ingressos, e utilizar os valores economizados para utilizar um caro alugado, em vez de optar por transporte coletivo ou carro de aluguel, que tiram a sua autonomia.

Esperamos que, após a leitura deste post, você possa ter mais embasamento para escolher o seu roteiro quando for viajar em Minas Gerais. Lembre-se de escolher o meio de transporte correto, para ter mais dinamismo, autonomia, privacidade, e uma viagem confortável.

E aí, gostou do post? Diga para a gente aqui nos comentários quais são os locais de Minas Gerais que você visita com frequência e confira nossos posts com outros destinos de nosso estado!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-